17 de jun de 2005

:: Lost Boy ::

Me sinto como se tivesse permacido menino quando todos já se tornaram homens.

Uma paródia de Peter Pan, que não é assim por não querer crescer, mas talvez por não saber como. Infantil nos desejos e pensamentos, no comportamento e objetivos. Na inconstância emocional e em aspirações que encontrariam melhor morada em mentes de seis ou sete anos; seis ou sete da época em que ainda cresci, que sonhavam com heróis e desbravamento do espaço; não os seis ou sete de hoje, mentes mirins cafetinadas pelos próprios pais e pela mídia. “Não sabia que o sr. Jackson era assim!”, grita o pai do lado de fora de Neverland.

Tenho sonhos de astronautas e estrelas do rock. De atos heróicos e fama universal. De poderes mutantes a surgir na puberdade. De estalar de dedos e desejos realizados, corpos possuídos, águas azuis e piscinas imersas no oceano, com paredes de vidro por onde passam baleias brancas e de onde se vê um galeão espanhol afundado, escondendo tesouros.

Me apaixono sempre como se fosse pela primeira vez. Me sinto traído por amores antigos, quando vejo os carinhos que eram meus feitos em outros. Me sinto traído como se meus ainda fossem: o sentimento injustificável de santuário violado, que mente infantil alguma pode conceber. A mente de criança que chora, ferida como adulto.


Um comentário:

Cris* disse...

Mas não dizem que devemos sempre conservar a criança interior? Digamos que você mantém o que lhe é de direito. Se consegue ser maduro quando a situação pede (trabalho, problemas chatos...), não há nada de errado em ser "puro" em outras ocasiões. Eu sempre me pego fazendo/dizendo/sentindo coisas dignas de uma criancinha imatura e ingênua, mas, em outros momentos, também me surpreendo com certa maturidade. Se você consegue equilibrá-los, não há erro. E é muito mais prazeroso estar com alguém assim, que se entrega como verdadeiramente é, pureza, sinceridade, coração.

Posso contar um segredinho de criança para criança? rs... Já fui várias vezes pra Disney, e vi outro dia na televisão, e morri de vontade de ir novamente. Mas só vou em brinquedos "leves" porque tenho medo de montanha-russa. =D Pode uma coisa dessas? 25 anos, e até hoje mantenho minha criança interior, tá vendo? rs... E acho que sou normal. Quer dizer... aí a discussão é outra, e seria longa demais! ;D

Logo honrarei minha condição de leitora assídua, tá :)
bjs*