27 de jun de 2005

:: O homem sem sombra ::

Prefiro que me ignorem por completo a que falem comigo apenas quando convém. Prefiro meia-dúzia de amigos a quem conheça (e que a mim conheçam) pelo nome a centenas que sejam amigos de situações: aqueles com quem você pode contar pra uma noitada, mas não para, muitas vezes, ouvir de você as consequências da mesma; aqueles com quem se conversa sobre os outros, mas que nunca falam de si.

Hoje em dia, infelizmente, são poucas as pessoas que pensam assim. Hoje em dia, todos preferem ter cúmplices ao invés de amigos. Querem conveniência. Que lhe digam o que querem, e não o que precisam ouvir. Senti a perda de pessoas que se afastaram por ouvir o que precisavam, e vi que esse sentimento de perda não provocou eco.

Se é superficialidade que procuram nos relacionamentos, é superficialidade que vão ter em tudo na vida. É o fast-food da necessidade humana básica de relacionamento interpessoal. É o homem gerando o meio que o produz, ainda que nesse próprio meio não consiga viver plenamente. Depois, sozinhas, as pessoas se perguntam o porquê de assim estarem.

Sou devoto de uma sinceridade que, sei, é muitas vezes nociva a mim mesmo. Da lealdade. Ainda que esta venha a ser trocada pelo escritório com nome na porta.

2 comentários:

Cris* disse...

"Prefiro que me ignorem por completo a que falem comigo apenas quando convém." Faço das suas as minhas palavras. Passo por isso, às vezes (digo "às vezes" porque é algo recorrente; a pessoa age sempre da mesma maneira, e, eu, (nesse momento, batendo a cabeça na parece aqui em minha frente), também (aceitação, seja lá o motivo). Tenho alguns "amigos" assim. Se a amizade não importasse tanto para mim, já teria me desligado, mas é uma amizade de longa data, e de grande importância. Nesse caso, a pessoa não faz por mal... talvez... deve ser falta de atenção. rs... (coração mole, credo!) Sabe aquela pessoa bem centrada (centrada mesmo! rs...), te liga, fala de seus problemas por horas e horas, e é só você começar a contar alguma coisinha sobre você, que a tal pessoa tem algo de muito importante a fazer? Incrível, não?! E, também como você disse, quando alguém ver conversar com você sobre algo sério até, algum problema, fala, fala, fala, e, então pede sua opinião... É só você começar a falar o que pensa sobre o assunto, que a pessoa logo muda para algum outro assunto, evita o diálogo, não quer ouvir... Então pq perguntou??? rs... Por que pedir minha opinião? Não costumo fazer joguinhos, fazer média, mascarar a verdade. Comigo é "a verdade deve ser dita", sempre. Pode machucar, pode incomodar, pode não ser o queremos ouvir, ou a que estamos preparados a ouvir, mas com a verdade não há erros. Penso assim, pelo menos. E concordo com o que você disse de essa sinceridade toda ser nociva a nós.
Outra situação: amizades por conveniência. Conveniência de que eu não sei, mas enfim... É muito fácil para as pessoas falarem com você, te sorrirem, te agradarem com lindas palavras, mas a intenção é das piores, você sabe, ela sabe, todos sabem, e todos fingem. Dispenso "amizades" desse tipo. Já dispensei várias assim.
Também prefiro as velhas "boas amizades". Qualidade, jamais quantidade.

Gostei muito desse post. Sempre páro e penso sobre isso. Todos falam de verdade, lealdade. "Enchem a boca" para falarem sobre hipocrisia, cinismo, falsidade, o que chega a ser a hipocrisia em si, porque são essas mesmas pessoas que agem assim. Eu tento ser o mais verdadeira possível, com todos. Não digo que sou uma janela escancarada para o mundo. Tenho meus medos guardados, meus "segredinhos", mas, como já até disse aqui no seu blog antes, é mais como preservação. Tenho que guardar um pouco para mim, só para mim. Mas sou extremamente transparente nas relações com as pessoas. Se não gosto de algo/alguém, isso fica absurdamente claro. Passo até vergonha, por não conseguir ser de outra maneira. rs... Imagine a cena: uma pessoa que você não suporta fala com você toda "cinicamente animada", e você ali, na frente da pessoa, se segurando... rs... Ou, então, um exemplo mais bobo, e que na verdade não tem nada a ver com o assunto, mas fiquei com vontade de falar, não sei por que :| Aconteceu comigo outro dia. Eu estava em uma festa de casamento, e uma pessoa me perguntou se estava bonita. Imagine uma mulher vestindo roxo, com cabelo curto todo enroladinho (deve ter passado o dia de bob (bob ou bobe? rs..) no cabelo, uma maquiagem estranha... O que dizer?? Eu disse que estava SIM bonita, mas senti que meu rosto dizia outra coisa. hahah
Você deve estar me achando a louca nesse momento. Eu disse que não tinha nada a ver com o assunto. Sorry! É o estado nervoso, estou ainda fazendo meu trabalho. Nossa, já estou me sentindo em Gilmore Girls, falando aquelas frases intermináveis e intercalando assuntos diversos em uma mesma situação. Meu Deus!!!! :|

Esse comentário foi desvairo ao extremo, hein?! Melhor eu voltar para meu trabalho, que ganho mais. Não, ganhar mais não ganho, com certeza! Ganharia mais ficando aqui, liberando minha cota de desvairo diária (tá, já ultrapassei a cota diária só nesse comentário, e contando o que já desvairei hoje... nossa, excedi todos os limites!)

Meus Deus!! Tchau! =D
bjs*

ps.: taí o problema em ser extremamente transparente... o risco de parecer louca

ps.2: nossa, como usei aspas.. não sei pq, mas aspas me incomodam rs...

fui!

Cris* disse...

O homem sem sombra... de dúvida que a Crisoca aqui é maluca.
E os erros de português. A gente sempre encontra uns errinhos quando já não dá mais para consertar, né?! Ai, que raiva. rs...
Olha o tamanho do comentário ali... Bíblia desvai!
bj*


*saindo e falando sozinha* rs...