8 de dez de 2005

:: Replay ::

Esperava, deitado no sofá, que sua respiração me acordasse no meio da noite.

Cheguei a achar que a indiferença com que me tratava era o que, afinal, fazia a diferença entre mim e tantos outros.

Um convite aceito, uma porta aberta apenas para revelar que nada havia do outro lado.

E lembrar das histórias que contou, e ouvir que eu não estava em nenhuma delas. Saber que coisas aconteciam, mas que eu não estava presente quando o faziam. Pior saber que aconteciam, porque não aconteciam comigo.

Não propus mais do que achei ser possível, ainda sabendo que muito pouco me seria.

Não precisa apontar, com seu sorriso, a direção. Este caminho por onde se anda sozinho já passei por mais vezes do que gostaria de admitir.

•••


Nenhum comentário: