27 de mar de 2006

:: Cisão ::

Odeio que me peçam explicações, principalmente quando não há pelo quê.

Menos ainda quando é alguém que nem deveria ter me pedido qualquer uma.

Mas há aqueles que perguntam “aonde vai?”, para dizer “não vá”, apenas porque não podem, eles, ir. Há os que perguntam “onde esteve?”, para dizer “como pôde?”, sem confessar nem para si mesmos que gostariam de também ter estado lá. Questionam o que foi dito, sugerindo que as palavras fossem outras, ainda que, no fundo, concordem com as verdades ditas por outros.

É o falar pelo falar, o pensar mais do que deveriam sobre assuntos que não lhes dizem respeito.

Já não ouço pessoas que escondem-se de si mesmas destilando todos os seus conceitos de verdade em cima das atitudes dos outros. E que, em algum ponto, já confundem sinceridade com grosseria, personalidade com inflexibilidade e opinião própria com uma eterna discordância de todos os que estão à sua volta. Não importa o assunto, importa apontar na direção oposta.

(E se ouvirem na voz de outro a opinião que trouxeram consigo, mudam-na de imediato.)

Incomoda quando o reflexo no espelho é o seu, não?

•••

Um comentário:

Raquel disse...

É realmente....
Mas pior do que se incomodar quando o reflexo no espelho não é o seu, é se incomodar qd o reflexo é o seu e vc não gosta nada do que vê... e aí, ser
"do contra" seria uma maneira de "ser diferente", uma maneira de não demostrar de jeito nenhum como "o alvo" é admirado e a única forma de diminuí-lo é indo contra toda e qualquer opinião que não seja a sua.
É o tal do Narcisismo destrutivo...vc cresce quando diminui o outro.
Um Grande Beijo!