20 de abr de 2006

:: Ad litteram ::

É tanta coisa que por sua causa me passa pela cabeça que é impossível distinguir qualquer uma delas e lhe dar nome.

Ao conjunto, chamo, claro, confusão. Mas o caos é a base da criação, não é?

Aos poucos venho poupando as palavras e aumentando as informações. Percebi que, assim, cada um acompanha o raciocínio até onde lhe é interessante.

Tudo se torna mais claro para todos.

Está comigo?
•••

5 comentários:

Renata Corrêa, na terra. disse...

Texto enigmático e bonito,hein, Renato Alt?

Hoje li umas coisas sobre a dor e a busca maluca pela felicidade instantânea e permanente que a gente é "levado" a viver atualmente.
Lembrei daquele teu texto. Me fez pensar.

Beijos

Graziele disse...

Estou com você... e em plena confusão!

Mas seu texto me fez lembrar: a criação (pena que nem todas se definem em sete dias, como nas histórias) vem do caos.


Beijos e uma ótima semana pra você!

Lu disse...

O duro é quando as palavras finalmente tomam a forma de notícias pouco alvissareiras.

Beijo pra vc, moço.

WILLIAM DOUGLAS disse...

RENATO
MANERÍSSIMA ESSA PÁGINA.
VC É DEZ.
WILLIAM DOUGLAS

Raquel disse...

estou exatamente passando por isso: "confusão" ...
E é impressionante como vc consegue definir tão bem!
Beijos!