23 de set de 2006

:: Métrica ::

O tempo todo passa quando quero
E a reviravolta vem de outro mundo
Pois tudo o que eu faço enquanto posso
Não muda mais por mais de um segundo

O vento frio seca-me a garganta
Enquanto todo o resto cai por terra
Me dá a forma de mais um imundo
Que vem de longe, de uma nova era

Escrevo uma trova em meu joelho
E agora ouço a voz que vem de dentro
O peito fecha pra mais uma idéia
E cai quebrado feito outro segundo

E foi você, sim, que me fez assim
E agora é tudo o que eu quero pra mim

A peça foi montada em um instante
Mas nada sobra pra dizer de novo
A luz que vem debaixo de uma porta
Não muda quando bate no seu rosto

E sem falar da mente avoada
Eu passo reto sem voltar pra dentro
Mas mais que tudo, eu quero um novo nada
E desfazer de quem fui feito outro

Por perto não há nada que eu não tenha
Se não tivesse, não queria outro
A paz que eu entrego em teus dedos
É pouca pra que eu nasça de novo

E foi você, sim, que me fez assim
E é hoje tudo o que eu quero pra mim

•••

5 comentários:

leticia lassance disse...

wooooowww !!!!! A-D-O-R-E-I de novo!!!!!!!! essa ta com cara de paixonite heim sr. renato....... rsrsrsrs.....

Lili disse...

Show...Mais uma vez...
:**

Alguem.. disse...

Lindo... de onde vem tudo isso??

Pagu disse...

Será q eu preciso dizer alguma coisa?????

@>---

Jackie disse...

Estou enviando um poeminha, não sei se tem a ver.
Te amei como nunca amei na vida, e do final deste amor restou umamulher tão fria,que nem por ti mesmo conseguiria sentir o amor que senti um dia.