28 de out de 2006

:: Print ::

Sim, é como escrevo, e como continuarei a escrever.

Escrevo às custas de amigos que tenho, que achava ter e de lugares onde não descobri nenhum. Escrevo às custas da minha casa, do meu dia, das minhas horas e segundos eternos. Escrevo às custas dos sorrisos que dou, daqueles que me negam e do choro que nem sempre vem. Escrevo às custas da falsidade, às custas da amizade, às custas de um dia que começou tarde e de uma noite que acabou cedo. Escrevo às custas do trabalho, às custas de pessoas que não são, às custas de um saldo que me nega o pão, às custas de um final de semana perdido numa folha qualquer, onde eu nem mesmo desenho um sol amarelo. Escrevo às custas da prosa, escrevo às custas da bossa nova e do rock´n roll. Escrevo às custas do que esperava, e às custas do que me deram.

Escrevo às custas de você que não quer que eu escreva, escrevo às custas de quem espera o que tenho a dizer. Escrevo às custas de uma idiotice que sou obrigado a ouvir e de um aceno de cabeça que não esperava ver. Escrevo às custas do sorriso que é um escarro, do afago que é um escárnio, do almoço que é um veneno.

Escrevo às custas das palavras que vêm por conta própria, às custas das que não querem que eu as escreva. Escrevo às custas de pensamentos que não querem calar, de idéias que querem morrer e de vultos que querem passar. Escrevo às custas de quem olha, e que enfim se faz ver.

Eu escrevo porque é o que faço. É o que sou. Queira você ou não, queira eu ou não. Eu escrevo às suas custas e às minhas.

Sim, é como escrevo, e como continuarei a escrever.
•••


14 comentários:

Me disse...

... "continuarei a escrever", ainda bem.

Graziele disse...

Eu também vivo me perguntando às custas do que escrevo, mas acho que agora está tudo de graça mesmo, porque não escrevo mais nada. Ainda bem que você escreve sempre!
Beijos.

Graziele disse...

Precisa de aprovação sua pra ir pro ar agora? Cadê meu primeiro comentário?

alê disse...

bem, vamos lá...
não sei se o outro comentário entrou, se entrou, apague este...
gostei muito. é até difícil de comentar.
você escreve porque gosta e te faz bem...
e faz bem a quem lê...
beijos,
alê (que tb gosta de escrever e de "te ler")

Cylo disse...

Escreva, escreva, escreva. Escreva assim ou assado, aplaudido ou reprovado, mas escreva sempre, amigo. Custe o que custar.

Carolina disse...

Escreva porque suas palavras me fazem escrever também.
Admirado ;D

;*

O importante é que a emoção sobreviva, meu caro amigo...

Vinicius disse...

Muito bom!!!
Acho que este foi o seu texto que eu entendi melhor...
Não deixe nada te impedir de escrever.
"Deus escreve certo por linhas tortas."

Abração

Cleber disse...

Porque eu escrevo? Escrevo pra conquistar. Escrevo pra fazer revoluções. Escrevo como que vai guerrear, essa é minha arma e vou apontar para todos que querem nos oprimir.
Mas e o tempo? o tempo me falta! infelizmente... revoluções se controem com tempo.

Bia Oliveira disse...

então escrevendo =)
pq faz mt bem!!
bjoo

Guto disse...

Eis a minha primeira visita ao seu site, aliás sítio. Se bem que Sítio é do Monteiro Lobato e teria pó de pirlimpimpim, seja lá o que seja isto e que efeito faça. Continue escrevendo, seja por ofício ou por vício. Afinal, nada mais libertário que o ato de escrever. Precisamos de muito pouco. Apenas de uma folha de papel e um lapis. Abração, GG

Beatriz disse...

Isso mesmo, continue escrevendo sempre.
Custe o que custar!

Siri disse...

Boa garotinho, siga firme e forte externando e exercendo seu dom. Cada pintura conta uma história.
Forte abraço, Siri.

Gigi disse...

*Para todos aqueles que escrevem, que sentem as palavras pulsando alucinadamente em nossas mentes e precisam colocá-las pra fora;
*Para aqueles que amam escrever mas as palavras não fluem tão facilmente como para outros (por isso preferem ler);
*Para aqueles que se julgam divinos mas são apenas humanos;
*Para todos os que ainda são HUMANOS e não apenas ORGANISMOS VIVOS...

Para todos nós suas palavras são fonte de admiração e inspiração... não as cale NUNCA, pois elas são o reflexo de você mesmo, e você é aquilo em que acredita, és aquilo que defendes, de corpo, alma e espírito!!!

Parabénsssssssssssss!!!!!!!!!!!!

Bjsssssssssssssssss

P.S. - Plagiando uma pessoa muito importante na minha vida (minha mãe):
"Para os naturalistas você é o que você come; para os filósofos você é o que você pensa; para a Psicologia, você é o que você se torna!!!" Leandra Iglesias(Psicóloga)

Tiff* disse...

Primeiro comentário, mesmo depois de várias visitas...
Muito bom esse texto... Me identifiquei bastante com ele..
"Escrevo às custas de um sorriso que é um escarro"
Muito bom, me fez lembrar de Augusto dos Anjos em mais um de seus sonetos... Versos Intimos...
Muito bom...
Parabéns...