9 de dez de 2007

:: Incerto ::

Ela vinha aqui ontem.

Eu a esperava com o quarto arrumado, com a cama feita, o vinho aberto para respirar.

Eu a esperava como era de se esperar: coração desprotegido, sorriso pronto, mãos ávidas por segurá-la, lábios à espera dos seus suspiros.

Eu a esperava com a música escolhida, com o abajour ligado, com perfumes e palavras. Eu a esperava com velas, com incenso, com o desapego às horas, com minutos descuidados, com segundos ansiosos.

Eu dispensava outra companhia, deixava o mundo para depois.

Ela vinha aqui à noite.

Mas, então, veio a noite, e não a trouxe.


...

Nenhum comentário: