21 de dez de 2009

:: Retórica ::

Talvez seja hora de deixar alguns pensamentos para trás.
Realizar que existem aquelas ruas e olhares com o quais nunca hei de cruzar.

Talvez seja hora de entender que o caminho fez-se por si mesmo, muito mais e além de qualquer plano que pudesse ser traçado, e que o desenrolar da história opera de acordo com seus próprios caprichos, de acordo com seu próprio querer, e que nossas tentativas de tomar as rédeas rendem apenas cansaço e, eventualmente, desistência.

Talvez seja hora de entender que nunca terei os sorrisos de alguns daqueles por quem tanto me esforcei, que talvez não vá ter sequer o olhar condoído daquelas que, sabendo disso ou não, foram minhas musas e fizeram tantas linhas escorrerem por entre meus dedos, chegando aos olhos de tantos que lêem e que tem, de mim, suas próprias idéias pré-concebidas, seus próprios conceitos a respeito de alguém que grita nas esquinas, a todos e a ninguém, sob a vã esperança de ver surgir alguma cumplicidade, algo mais que se destaque do cinza que permeia nossos dias e esperanças.

Talvez seja hora, apenas, de silenciar, e compreender a inevitabilidade de alguns fatos.

Eis-me aqui, agora.
...

Publicado por Renato Alt

Nenhum comentário: