23 de set de 2013

Poente

Se você estivesse aqui, talvez eu pensasse outras coisas.
Talvez quisesse outras coisas, talvez buscasse outras coisas, talvez visse o futuro com outros olhos: os seus.

Talvez entendesse de outra forma o tanto que acontece, no tempo em que acontece, e percebesse que há outras interpretações para quando tudo parece, simplesmente, preto e branco.

Ou ainda poderia acreditar que algumas coisas acontecem porque há outras maiores acontecendo, e que, mesmo sem saber, me encaixo como peça fundamental nessa imensa engrenagem.


Talvez, se visse sua presença, me sentisse mais confiante, mais seguro, mais determinado. Talvez se tornasse mais evidente que, afinal, não é a meu respeito de que tudo de trata, mas a respeito de coisas que eu nem sequer virei um dia a saber, e mais, que pouco importa não sabê-las.

Talvez.

Mas talvez, só talvez, tudo sirva para trazer de volta uma única certeza: a de que pensar-se inócuo, desimportante, inaudível, pode ser a chave para permitir-se enxergar coisas que a cegueira da rotina escondia; e que o horizonte não é, afinal, apenas a linha que os olhos alcançam, mas aquela onde toda a história ainda está por ser escrita.


•••
Publicado por Renato Alt

Nenhum comentário: