22 de jul de 2014

Astrolábio

Conforme via agora, o tempo já passara demais.
Levara consigo as promessas e mensagens, e confidências de falsa intimidade, e cumplicidade que tentava afirmar-se quando, frágil, equilibrava-se em uma foto mostrada a poucos.

Não há tristeza; também, dela, o tempo passara. Guardaria as lembranças que valem a pena. Faltava paciência para cultivar rancores.

Livre das amarras, partia agora para oceano aberto.

•••
Publicado por Renato Alt